23 de set de 2014

à ti

Recebi, ainda no ventre de uma mulher, meu coração.
À uma mulher o entrego,
Porem haja pregos
                             enferrujados desde a ponta do dedo até os finos lábios.

Devoram-me como dentes de uma pesada engrenagem

Quanta saudade...
Porém nunca me preenche.



passou..

Nenhum comentário:

Postar um comentário