20 de fev de 2014

Contrapartida

O que me vem pra ponta dos dedos não vem em vão.
Começa no peito como uma chama branda, sobe e toma forma em palavras, em desenho, em carinho.

Trouxeste meus melhores versos e agora vagarosamente estão sendo arrancados em essência e na vontade que ausente sangra o poeta.
Um poeta morto
Um coração vazio.
Oco do que transbordou um dia.