25 de jul de 2014

Fragmentos I

Somos nós dois na sacada de um prédio.
Proliferando tédio, olhando os carros na rua
Talvez ansiando-a nua.
                               (como te quero)                                
Porém fria como suas ultimas palavras prepara um bolo e da cozinha ainda me vê fitando a rua, com o peito ardente tal qual a brasa do cigarro entr'os dedos.



Foi um prazer ter te conhecido.

8 de jul de 2014

Tempo

O ministério da saúde adverte: Esse post pode causar indigestão.



Uma boca seca, onde afogo minha saudade.
Um mar na verdade, onde as gotas tu bebeu na esquina.
 Ainda cuspindo asneira                                  
                                        Que tenho de aturar

Esperava lá fora,
Seu interior de porco espinho desgraçado, agarrado.
Cortando o que lhe restou em pedaços

De antídoto pra este veneno escolheu-me
E de copos tombados vomitou suas promessas.
Pregou-me uma peça.

Um teatro barato.
Lembra-me do passado
Onde sua simplicidade me fez feliz.




Linda.
Se esforçando para caminhar lado a lado.
Sem medir esforços para ficarem mais próximos.
Calma.
Era o que o motivava todos os dias...



R.I.P.