30 de set de 2014

LEWB - Insegurança

Poderia começar com falacias antigas, mas velharia me irrita
Agora não mais que teu jeito esnobe

Repentino como uma estrela cadente chegarem-se dias e semanas sem sentir-me ardente, uma solidão que estrela alguma conhece.
As margens do infinito o que sentir senão o vácuo aflito de um universo suspenso e inerte?


Deriva-se dai meu monstro
de olhos brilhantes e boca de porta,
de onde te vejo sair todos os dias.



a fotografia não é minha, mas a crackolagem foi eu quem fiz -q

29 de set de 2014

Vou escrever um pouco de ódio

Laço
Dois fios atados,
Vermelho e o Preto ao lado.

Descompassado aproximasse um terceiro fio
Que a frio arranca do laço a harmonia; agonia:
 - É um assalto.


26 de set de 2014

Mar em Espiral

Minhas mãos encontram melhor lugar em ti,
Como o mar se agarra à pele

E por inteiro a consomem, porem quente
                                                                 (salubre pele molhada de mar)

Ancorada na imensidão que somos me mantem vivo.
                                             Pois sua boca não se cansa da minha e castiga a
                                                                                                                     alma.







E     G  O   I  S    MO      

23 de set de 2014

à ti

Recebi, ainda no ventre de uma mulher, meu coração.
À uma mulher o entrego,
Porem haja pregos
                             enferrujados desde a ponta do dedo até os finos lábios.

Devoram-me como dentes de uma pesada engrenagem

Quanta saudade...
Porém nunca me preenche.



passou..

21 de set de 2014

Vida.

Viver é como uma obra de arte.
Devemos viver de maneira a causar bem estar em quem nos cerca, de maneira que não questione, apenas identifique e acolha semeando o entendimento.
E nesse prazer, em entender todas as coisas e a nós mesmos, justificar a vida.


20 de set de 2014

00#

Venham-me, venham-me, venham-me.
Venham-me, palavras ordinárias!
Sem voz de perdão
Sem acolher a alma.



Apenas venham-me.