5 de abr de 2012

Block'

No canto de um quarto a luz não alcançava, estava sujo e era notável que ali viviam insetos cheio de peçonha ansiando o sangue do curioso que se aproximasse. No outro canto uma flor emanava um aroma agradável, sua cor enchia os olhos, detinha o vermelho mais vivo que existe.
 Uma lampada balançava sobre ela como se fosse um pendulo.
 Quando se movia para esquerda podia se ver uma mulher velha, quando se movia parar direita consegui enxergar-me.
 Olhava aquele rosto enrugado, cansado, aquelas vestes simples que me lembraram aquelas burcas. Passei a me preocupar com a indecisão da lâmpada. Enfim a lâmpada parou, a velha sorriu. Seu rosto moveu-se lentamente, a flor começava a secar e a velha se rejuvenescia. A flor se tornara pó.
 A velha, feliz por recuperar sua juventude, emanou um tipo de luz no quarto dando um fim a todos os insetos, se despediu e saiu por onde não haviam portas.

 Esse foi um texto que fiz na aula de português, só que a profº não aceitou ¬¬

Não queria perder o meu GRANDE esforço ¬¬

Agora a porra fica seria: Homens são criadas e treinados desde pequenos para serem irresponsáveis. Me irrita essa divisão por gênero. No caso de homossexuais, eles se apaixonam pela pessoa e não pelo gênero ¬¬ Se não fosse a criação padrão todos nos seriamos BI, eu tenho certeza >_<
 Logicamente se houvesse amor e não só essa ''afinidade transante''
Bem... não tinha muito o que postar só queria expor o texto acima mesmo. ai ! ai ! ai ! minhas artrites ai! ai...

Um comentário:

  1. É que cê tem que falar de deus mano pra professora aceitar.

    ResponderExcluir